Estamos mal... em tudo

19:56

Há por aí muita gente que diz que em Portugal só queremos saber é do futebol, ou da "bola", como lhe chamam geralmente essas pessoas. Penso que ao poucos tem sido feito um esforço no sentido de mudar isto. Para não darmos tanta importância à bola, a selecção mudou de táctica. Deixou de ser aquilo que era na era Scolari para passar a jogar mal. E não se pense que foi um processo fácil, longe disso. Para passar daquilo que se fazia em 2004 para o que se faz hoje em dia, houve um difícil processo de renovação da selecção, renovação essa maioritariamente má.


Tendo em conta a nossa situação económica, acho que faz sentido que Portugal pratique um mau futebol. Assim somos maus em tudo. Se há algo de que não nos podem acusar é falta de coerência. Nem de falta de coerência, nem de falta de aposta nos melhores jogadores que temos. É por isso que Eliseu, Nani, Danny, Bruno Alves e afins continuam a jogar em detrimento de José Fonte, Pizzi, William, Adrien e afins. 

Uma selecção de topo mundial (como a FIFA acha que somos) talvez não devesse temer a poderosa Arménia. Mas aqueles jogadores da liga armena, segunda liga russa e liga ucraniana são perigosos. E tornam-se ainda mais perigosos quando temos, servindo-me de uma frase de um famoso vídeo da Sagres, frango servido em Yerevan.

A minha proposta para terça, no jogo frente à Itália, é que mantenham a táctica do "passa a bola ao Ronaldo". E mantenham-na por muito tempo. Pelo menos até ele conseguir andar. Quando ele só se mexer com ajuda de muletas acabamos com isto da selecção.

Relacionados

1 comentários