expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Dia da amizade? Qual amizade?


É provável que os meus amigos sejam as pessoas mais irritantes à face da terra. Há três coisas que aprecio num indivíduo: ter piada e reconhecer o que tem piada, inteligência e, mais importante que tudo, ser do Benfica.

Gosto de me achar uma pessoa fantástica a avaliar pessoas, mas depois de um intenso estudo que resultou na conclusão de que não tenho um único amigo que possua estas três características – muitos deles não possuem nenhuma – chego à conclusão que não estava certa sobre mim mesma.

De cada vez que conto uma piada é raro alguém rir-se e ainda mais raro alguém ouvi-la. É certo que, nas mil piadas que faço por dia, uma delas é boa, mas nem com essa oiço risos. Como o problema não pode ser meu, só posso concluir que se trata de estupidez dos meus amigos.

Estas três caraterísticas estão intimamente ligadas. Grande parte das piadas que faço – ou tento fazer - estão relacionadas com futebol e os meus amigos percebem zero de futebol. Mas mesmo quando as piadas nada têm a ver com o tema futebol é complicado fazê-los rir. Parto então do princípio que o meu humor é de tal forma inteligente que se torna incompreensível à generalidade dos seres humanos.

É preciso salientar que eu digo isto porque sei que os meus amigos não lêem nada do que eu escrevo porque, como já disse, tenho péssimos amigos.

Sem comentários:

Enviar um comentário