5 razões pelas quais a selecção é melhor que a selecção

16:42

Não, não me enganei. Há mais do que uma selecção, mas é lógico que só uma delas merece a atenção de todos. O triste é que essa seja precisamente a pior. Em contrapartida tem descontos nos bilhetes em cartão continente e eu gosto sempre de ir ao continente e poder passar naquelas caixas self service "sem pagar". Para provar que estou certa (é raro, mas desta vez juro que estou), tenho um conjunto de razões pelas quais a selecção "dos putos" é melhor que a "dos velhos".








  1. Não existe Nani. É sem dúvida uma das principais razões. E quem diz Nani, diz outros tantos, mas convenhamos que o Nani é o que mais estorva no campo. Não acerta um passe (quando passa sequer a bola) e na maioria do jogo está a olhar para ontem. Talvez a recordar aqueles tempos em que o Fergusson era suficientemente burro para o deixar jogar no Manchester. Sem Nani há espaço para que jogadores a sério estejam em campo.
  2. Não perdem finais. Muitos podem estar já prontos para me corrigir e dizer que ainda há uns meses perderam o Europeu com a Suécia. Mentira. Portugal acabou o Euro sem uma única derrota. Na final empatou. A única razão pela qual não trouxeram o troféu para casa foi porque as regras do futebol são estúpidas. Penaltis não decidem quem é o melhor em campo durante 120 minutos. Para mim jogava-se até haver um golo. Isso ou atirava-se a moeda ao ar. O Benfica já se lixou assim, mas também já se lixou com penaltis e a táctica da moeda sempre cansa menos os jogadores e faz os adeptos terem menos ataques cardíacos. Com o nosso sistema nacional de saúde não nos podemos dar ao luxo de ter ataques à custa da bola.
  3. Não perdem com a Grécia. Notem que esta selecção perdeu a taça para a Suécia. Não é que a Suécia seja propriamente uma potência da bola, mas pelo menos a nível de economia está bem lançada. A selecção A conseguiu perdeu duas vezes no mesmo Europeu com um país que, financeiramente, ainda está pior que nós. Não duvido que a selecção A perdesse com a Grécia de hoje em dia. E com dois golos do Mitroglou que era para o Rui Patrício aprender quem é que manda. 
  4. Não têm recordes estúpidos. Ui, seis jogos a ganhar, é o recorde ainda dos tempos do Scolari. Não são mais jogos porque entretanto a Grécia deve ter aparecido como adversária. Os sub 21 passam a fase de qualificação para o Euro deste ano sem perder, o play off do mesmo e só perderam na final. Começaram também esta qualificação com duas vitórias. Fraquinhos.
  5. Jogam à bola. Tudo bem que este é o argumento menos interessante. Não interessa jogar bem se não se marcarem golos. A selecção A joga mal e safou-se bem neste apuramento. 9 golos em 7 jogos. Craques. Os sub 21 têm uns míseros 8 golos nos dois jogos de qualificação para o próximo Euro. E ainda têm espaço para nota artística. Na selecção A, no máximo, vemos umas fintas do Ronaldo a ele próprio ou um choro do Moutinho quando se atira para o chão digno de novela da TVI.
A questão que se impõe neste momento é: com tão bons resultados nas camadas jovens, como é que as selecções principais são sempre uma miséria? Podem vir-me com a lógica de "os grandes não apostam nos putos" ou "os putos não têm maturidade para jogar contra as selecções mais fortes". Mentiras. O que existe é medo. Medo de passar putos de 18 para a selecção principal. Putos como o Gonçalo Guedes e o Rúben Neves que são titulares nos dois maiores clubes portugueses. Dizer que não conseguem competir com os melhores é gozar com a nossa cara. O Rúben Neves ainda há dias capitaneou o Porto. Com 18 anos. O Gonçalo Guedes tem feito exibições de luxo no Benfica. Isto para não falar no Nélson Semedo que foi chamado à selecção principal e ficou no banco. Mas há alguém neste país que ache que o Cedrid ou o João Pereira é melhor que o Nélson Semedo? Se há, vão ver futebol.

Putos como o Gonçalo Paciência, o Bruno Fernandes, o Rony Lopes e aqueles de que já falei provavelmente nunca serão titulares na selecção principal, mas fariam um trabalho melhor do que a maior partes da pseudo estrelas que lá estão. Com isto não digo que a equipa deve ser deita apenas por miúdos. São precisos jogadores com experiência, mas não com más experiências!

Relacionados

0 comentários