expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Afinal a culpa era mesmo dos médicos

Lembram-se do Mundial 2014 e do departamento médico que levou com as culpas da fraca exibição da selecção? De facto, é possível que a culpa tenha sido dos médicos. O problema é que os médicos foram substituídos e a incompetência é a mesma.

Nélson Semedo foi titular no jogo deste domingo frente à Sérvia e, só quando voltou aos treinos pelo Benfica, se percebeu que estava lesionado e, inclusive, precisava de ser operado ao joelho. No final do jogo não havia lesão nenhuma segundo o departamento médico da selecção. Das duas, uma: ou o Nélson Semedo se lesionou em casa, ou os médicos da selecção são incompetentes.

Talvez fosse plausível que o jogador do Benfica tivesse andado a jogar futsal à noite com o Talisca e se tivesse lesionado assim. Mas depois lembramo-nos do William Carvalho que, um belo dia, veio da selecção sem lesão nenhuma e, chegado ao Sporting, teve de parar até há bem pouco tempo.

Conclusão: há qualquer coisa de errado com o departamento médico da selecção. Se não conseguem perceber que os jogadores estão lesionados, então são incompetentes. Se o percebem e mesmo assim isso não consta dos relatórios, temos um problema bastante mais sério.

Problema tem também o Benfica. Quem é que vai para lateral direito numa altura em que há jogo fora com o Galatasaray e dérbi com o Sporting? O Sílvio? É preferível ir para lá eu. O André Almeida? Pode ser, se o Samaris conseguir continuar a fazer todo o meio campo como fez de cada vez que jogaram o Talisca ou o Pizzi. O Lindelof? É um solução plausível. Aliás, não percebo como é que, depois do Europeu de sub-21 que fez, nunca teve oportunidades.

Sem comentários:

Enviar um comentário