Gente que também vai ver o Euro na TV

17:50

Agora que a qualificação para o Euro 2016 acabou, parece-me importante fazer precisamente o contrário do que todos fazem: realçar as selecções que estão de fora. No fundo são jogadores (alguns deles bastante conhecidos) que na altura do Euro vão fazer o mesmo que eu: ver os jogos na televisão. A diferença é que eu posso ver a minha selecção e eles não.

Como eu sou uma pessoa que gosta de pensar sobre os assuntos importantes, hoje trago-vos um onze maravilha que podia fazer mais estragos no Euro do que muitas das selecções presentes (inclusive a portuguesa). Eu sei, eram precisas umas adaptações, mas há jogadores que não podiam ser deixados de fora da mesma forma que há falta de defesas direitos/esquerdos aceitáveis.


Entre estes estão alguns jogadores que eu gosto especialmente (leia-se o Sneijder, o Dzeko, o Matic e o Agger) e outros que vão fazer bastante falta ao Euro. É por isso que eu defendo uma equipa que junte os melhores jogadores que ficam de fora. Ninguém tem culpa de estar muitos pontos acima dos colegas!


Begovic (Sérvia/Chelsea)

O seu clube está a passar por um momento deplorável, mas a verdade é que, daquilo que tenho acompanhado, o guarda-redes sérvio não tem estado nada mal e é dos poucos que não pode ser culpado pelos fracos resultados do Chelsea. Para mim, é melhor que o Courtois.


Agger (Dinamarca/Brondby)

Sendo o Agger defesa central, não posso deixar de o colocar à direita. Primeiro porque não tinha mais ninguém e depois porque, jogue onde jogar, não consegue jogar mal. E anda um jogador destes perdido numa equipa dinamarquesa que ninguém conhece por opção própria!


Papastathopoulos (Grécia/Dortmund)

Perdi a conta ao tempo que demorei para conseguir pronunciar o nome deste indivíduo, mas agora já consigo fazê-lo. Talvez seja estúpido estar a falar de um central grego quando a Grécia perdeu grande parte dos jogos de apuramento para o Euro, mas este indivíduo (cujo nome não cabe nas camisolas) é um defesa central bastante competente (caso contrário estaria perdido num qualquer clube grego).


Ivanovic (Sérvia/Chelsea)

Se preferia que o Suarez lhe tivesse arrancado o braço em vez de o morder? Sim. Ainda não me conformei com o golo dele ao Benfica na final da Liga Europa, mas tenho de dar o braço a torcer (expressão que, neste caso, funciona na perfeição) e admitir que é um excelente defesa.


Blind (Holanda/Manchester United)

Ser filho do seleccionador nacional neste caso é bastante útil. Isto porque o Blind é um jogador de altos e baixos (mais baixos que altos, para mim). No entanto, e porque esta equipa também precisa de alguns pontos fracos e porque havia falta de gente para o lugar (tal como no Benfica), cá está ele.


Matic (Sérvia/Chelsea)

Um dos melhores médios defensivos da Europa, a passar por um momento menos bom de forma (quem não está no Chelsea?), mas que vai fazer falta ao Euro e que sofre por ter uma selecção onde a maioria dos jogadores está bastante pontos abaixo dele.


Depay (Holanda/Manchester United)

Apesar de achar que é um pouco sobrevalorizado pelas pessoas no geral, não deixo de achar que é um excelente extremo que perde uma excelente oportunidade de se mostrar (ainda mais do que faz no clube).


Dzeko (Bósnia/Roma)

É mais um daqueles casos em que a selecção é um mais onze. Neste caso Dzeko + 11. Ainda estou a recuperar da transferência para a Roma (a sério, quem é que vai do City para a Roma?) e já a Bósnia está de fora do Euro. Está claramente muito acima da restante equipa. Importa também referir que, ao fazer a pesquisa a imagem para colocar aqui, escrevi "dz" e já o google me estava a sugerir "D'zrt".


Sneijder (Holanda/Galatasaray)

Já me fartei de dizer aqui que adoro o Sneijder e que, tendo em conta aquele último jogo que a Holanda tinha mesmo de ganhar, é um daqueles jogadores que merecia mesmo ir ao mundial. Sobretudo agora, que está novamente numa fase ascendente da carreira.


Robben (Holanda/Bayern)

Esteve bastante tempo lesionado e a selecção holandesa também acabou por sofrer com isso. Não sendo o jogador com quem mais simpatizo, tenho de admitir que é um dos melhores do mundo da actualidade. Aliás, isso mesmo ficou provado no último mundial.


Huntelaar (Holanda/Schalke 04)

Está longe de ser um novo Van Persie, mas com a ajuda do Robben na frente até eu passava por jogadora de futebol. 


E como eu sou uma pessoa que não gosta de deixar as coisas a meio, ainda vos presenteio com uma lista de meia dúzia suplentes de luxo:


Oblak (Eslovénia/Atlético de Madrid)

Não, ainda não esqueci a "traição" ao Benfica, mas estou longe de ser hater. Adorava o Oblak quando estava no Benfica, deu-nos praticamente o título e acho que no Atlético está uns pontos abaixo daquilo que fez cá. No entanto, continua a ser um dos melhores guarda-redes da europa.


Papadopoulos (Grécia/Bayer Leverkussen)

Não sendo um defesa genial, desenrasca. Além disso tem um nome engraçado para os comentadores ingleses pronunciarem.


Kolarov (Sérvia/Manchester City)

É mais um dos defesas que podia estar neste onze inicial e não está porque tentei incluir o maior número de países diferentes. 


Samaris (Grécia/Benfica)

Não está naquele onze porque para ser como o Matic tinha de nascer 10 vezes. Talvez já não sejam 10. Apesar de achar que neste momento é melhor jogador que o Matic, não duvido que, em condições normais, o Matic está uns pontos acima do Samaris.


Markovic (Sérvia/Fenerbahçe)

Atenção, estamos a falar do Markovic do Benfica e não do Markovic do Liverpool treinado pelo Brendan Rodgers. Na sua melhor forma, imaginem os estragos que este "puto" fazia em França.


Van Persie (Holanda/Fernerbahçe)

Sim, eu sei que os tempos de glória do Van Persie já lá vão, mas ter um Van Persie na equipa é sempre uma mais valia (a menos que estejamos a perder 2.0 e ele se lembre de marcar um auto-golo).


Estou a pensar organizar uns meetings cá em casa para ver o Euro com esta gente toda (ok, talvez não toda porque há alguns de quem não gosto). Será que se lhes mandar mensagens nas redes sociais, eles aceitam? 

Relacionados

0 comentários