Gente que também vai ver o Euro na TV

Euro 2016 17:50
Agora que a qualificação para o Euro 2016 acabou, parece-me importante fazer precisamente o contrário do que todos fazem: realçar as selecções que estão de fora. No fundo são jogadores (alguns deles bastante conhecidos) que na altura do Euro vão fazer o mesmo que eu: ver os jogos na televisão. A diferença é que eu posso ver a minha selecção e eles não.

Como eu sou uma pessoa que gosta de pensar sobre os assuntos importantes, hoje trago-vos um onze maravilha que podia fazer mais estragos no Euro do que muitas das selecções presentes (inclusive a portuguesa). Eu sei, eram precisas umas adaptações, mas há jogadores que não podiam ser deixados de fora da mesma forma que há falta de defesas direitos/esquerdos aceitáveis.


Entre estes estão alguns jogadores que eu gosto especialmente (leia-se o Sneijder, o Dzeko, o Matic e o Agger) e outros que vão fazer bastante falta ao Euro. É por isso que eu defendo uma equipa que junte os melhores jogadores que ficam de fora. Ninguém tem culpa de estar muitos pontos acima dos colegas!


Begovic (Sérvia/Chelsea)

O seu clube está a passar por um momento deplorável, mas a verdade é que, daquilo que tenho acompanhado, o guarda-redes sérvio não tem estado nada mal e é dos poucos que não pode ser culpado pelos fracos resultados do Chelsea. Para mim, é melhor que o Courtois.


Agger (Dinamarca/Brondby)

Sendo o Agger defesa central, não posso deixar de o colocar à direita. Primeiro porque não tinha mais ninguém e depois porque, jogue onde jogar, não consegue jogar mal. E anda um jogador destes perdido numa equipa dinamarquesa que ninguém conhece por opção própria!


Papastathopoulos (Grécia/Dortmund)

Perdi a conta ao tempo que demorei para conseguir pronunciar o nome deste indivíduo, mas agora já consigo fazê-lo. Talvez seja estúpido estar a falar de um central grego quando a Grécia perdeu grande parte dos jogos de apuramento para o Euro, mas este indivíduo (cujo nome não cabe nas camisolas) é um defesa central bastante competente (caso contrário estaria perdido num qualquer clube grego).


Ivanovic (Sérvia/Chelsea)

Se preferia que o Suarez lhe tivesse arrancado o braço em vez de o morder? Sim. Ainda não me conformei com o golo dele ao Benfica na final da Liga Europa, mas tenho de dar o braço a torcer (expressão que, neste caso, funciona na perfeição) e admitir que é um excelente defesa.


Blind (Holanda/Manchester United)

Ser filho do seleccionador nacional neste caso é bastante útil. Isto porque o Blind é um jogador de altos e baixos (mais baixos que altos, para mim). No entanto, e porque esta equipa também precisa de alguns pontos fracos e porque havia falta de gente para o lugar (tal como no Benfica), cá está ele.


Matic (Sérvia/Chelsea)

Um dos melhores médios defensivos da Europa, a passar por um momento menos bom de forma (quem não está no Chelsea?), mas que vai fazer falta ao Euro e que sofre por ter uma selecção onde a maioria dos jogadores está bastante pontos abaixo dele.


Depay (Holanda/Manchester United)

Apesar de achar que é um pouco sobrevalorizado pelas pessoas no geral, não deixo de achar que é um excelente extremo que perde uma excelente oportunidade de se mostrar (ainda mais do que faz no clube).


Dzeko (Bósnia/Roma)

É mais um daqueles casos em que a selecção é um mais onze. Neste caso Dzeko + 11. Ainda estou a recuperar da transferência para a Roma (a sério, quem é que vai do City para a Roma?) e já a Bósnia está de fora do Euro. Está claramente muito acima da restante equipa. Importa também referir que, ao fazer a pesquisa a imagem para colocar aqui, escrevi "dz" e já o google me estava a sugerir "D'zrt".


Sneijder (Holanda/Galatasaray)

Já me fartei de dizer aqui que adoro o Sneijder e que, tendo em conta aquele último jogo que a Holanda tinha mesmo de ganhar, é um daqueles jogadores que merecia mesmo ir ao mundial. Sobretudo agora, que está novamente numa fase ascendente da carreira.


Robben (Holanda/Bayern)

Esteve bastante tempo lesionado e a selecção holandesa também acabou por sofrer com isso. Não sendo o jogador com quem mais simpatizo, tenho de admitir que é um dos melhores do mundo da actualidade. Aliás, isso mesmo ficou provado no último mundial.


Huntelaar (Holanda/Schalke 04)

Está longe de ser um novo Van Persie, mas com a ajuda do Robben na frente até eu passava por jogadora de futebol. 


E como eu sou uma pessoa que não gosta de deixar as coisas a meio, ainda vos presenteio com uma lista de meia dúzia suplentes de luxo:


Oblak (Eslovénia/Atlético de Madrid)

Não, ainda não esqueci a "traição" ao Benfica, mas estou longe de ser hater. Adorava o Oblak quando estava no Benfica, deu-nos praticamente o título e acho que no Atlético está uns pontos abaixo daquilo que fez cá. No entanto, continua a ser um dos melhores guarda-redes da europa.


Papadopoulos (Grécia/Bayer Leverkussen)

Não sendo um defesa genial, desenrasca. Além disso tem um nome engraçado para os comentadores ingleses pronunciarem.


Kolarov (Sérvia/Manchester City)

É mais um dos defesas que podia estar neste onze inicial e não está porque tentei incluir o maior número de países diferentes. 


Samaris (Grécia/Benfica)

Não está naquele onze porque para ser como o Matic tinha de nascer 10 vezes. Talvez já não sejam 10. Apesar de achar que neste momento é melhor jogador que o Matic, não duvido que, em condições normais, o Matic está uns pontos acima do Samaris.


Markovic (Sérvia/Fenerbahçe)

Atenção, estamos a falar do Markovic do Benfica e não do Markovic do Liverpool treinado pelo Brendan Rodgers. Na sua melhor forma, imaginem os estragos que este "puto" fazia em França.


Van Persie (Holanda/Fernerbahçe)

Sim, eu sei que os tempos de glória do Van Persie já lá vão, mas ter um Van Persie na equipa é sempre uma mais valia (a menos que estejamos a perder 2.0 e ele se lembre de marcar um auto-golo).


Estou a pensar organizar uns meetings cá em casa para ver o Euro com esta gente toda (ok, talvez não toda porque há alguns de quem não gosto). Será que se lhes mandar mensagens nas redes sociais, eles aceitam? 

Rezar? A quem?

19:01
Não é costume mas hoje falo de um assunto sério. Sem ironias, sem piadas parvas, sem estupidez. Porque o que se passou assim o exige! É aterrador pensar que, em menos de um ano, uma das principais capitais europeias sofreu dois atentados desta dimensão. Se o primeiro foi contra jornalistas que satirizavam o estado islâmico, este foi contra pessoas perfeitamente normais. Pessoas que saíram de casa a uma sexta à noite para jantar com amigos, assistir a um concerto ou a um jogo da selecção.

Sempre fui educada como cristã e talvez por isso hoje em dia não me reveja no Deus que os cristãos veneram. Não posso acreditar num Deus omnisciente, omnipotente e omnipresente que deixe isto acontecer. Não posso acreditar que tenha feito o homem com tantos defeitos. Se tem o poder de o parar, porque é que não o pára? Gosta de ver guerra? Por outro lado temos os terroristas a afirmar serem movidos pelo islamismo. Desconfio que em algum momento Alá tenha dito "semeai no mundo um clima de terror, matai-vos e matai todos os outros". 


Imaginem o que é estarem fechados numa sala de espectáculos horas e horas com armas apontadas às vossa cabeças. Imaginem como será estar dentro de um estádio de onde não podem sair e  sem saberem nada do que se passa. Imaginem o que é estarem a jantar com amigos e de repente começarem a ver tiros a voar! É disto que os refugiados fogem. É para evitar isto que arriscam as suas vidas todos os dias. 

E se tivesse sido cá? Acredito que o massacre tivesse sido bem maior. Um jogo amigável da selecção teria enchido o Estádio da Luz e a verdade é que ninguém revista ninguém. Em todos os jogos que fui ver, fui revistada umas duas vezes. É ridículo, mas verdade. Qualquer pessoa entraria com uma bomba e o número de mortos seria absolutamente catastrófico.


Mais: estamos a falar de um país que daqui  uns meses receberá o Euro 2016. Que condições de segurança podem ser garantidas para os milhares que vão apoiar os seus países? Quantos campos terão de ser invadidos no final dos jogos? Quantas equipas terão de dormir no estádio para depois poderem sair em segurança?

O que me preocupa de facto é que este atentado, o do Charlie Hebdo e a crise dos refugiados, a médio prazo não passem de uma introdução de uma resposta a uma qualquer pergunta de um exame de história A sobre a terceira guerra mundial. E aí, duvido que a Europa conseguisse recuperar. 


"Il ne me reste que des larmes
(...)
Comment survivre après ça?
(...)
Quand ils sont arrivés
Cachés derrière leurs armes
Ils étaient des milliers
Ils riaient de nos larmes"

A opinião sobre a opinião política dos portugueses

politiquisses 14:34
Já venho um pouco tarde para falar sobre a queda do governo, não venho? As opiniões multiplicam-se pela internet e pelos cafés e é precisamente por isso que eu não venho dar a minha opinião sobre a queda do governo. Sobre isso já todos falaram e dificilmente eu iria conseguir acrescentar algo relevante a essa discussão (até porque grande parte daquilo que eu digo é completamente irrelevante). Assim sendo, venho dar a minha opinião sobre a opinião dos portugueses.

É difícil agradar ao povo português. Tão depressa chamam gatuno ao Passos Coelho, como uns dias depois lhe erguem um altar. Até ao dia em que o Presidente da República indigitou o governo, queriam todos untar o Primeiro Ministro e o Vice com cola super três, fazê-los rebolar em alcatrão acabadinho de fazer, mandar-lhes uns litros de gasolina para cima e acender um fósforo nas suas cabeças (que ficavam sem alcatrão para se poderem ouvir melhor os gritos de dor). Assim que se começou a falar em acordo à esquerda, já queriam todos erguer um novo santuário em Fátima às mesmas pessoas a quem desejavam uma morte dolorosa.

Entre o momento em que se insultavam com palavras menos bonitas os líderes do governo português e aquele em que estes são considerados os melhores governadores de sempre, passaram 11 dias. Paulo Portas demitiu-se "irrevogavelmente" a 2 de julho e foi nomeado vice a 24 de julho. Os portugueses fartaram-se de criticar mas Paulo Portas demorou o dobro do tempo destes a pensar se devia ou não voltar atrás com a sua palavra.

Se António Costa for indigitado Primeiro Ministro acredito que passados cinco dias e meio (para termos uma estatística por onde nos guiarmos para eventos futuros) os portugueses vão estender passadeiras vermelhas por todos os lugares onde o líder do PS passar. O povo português é mais difícil de satisfazer que uma criança bipolar. 

Parabéns ao Sporting

sporting 17:19

Estou a escrever já isto porque temo que em maio vou estar demasiado aziada para dar os parabéns a um clube que não ganha o campeonato há 15 anos. Quem não se lembra do colinho? Eu lembro e, curiosamente, este ano nenhum sportinguista se atreve sequer a mencioná-lo. No ano passado, diz o Bruno, não fosse o colinho e eu não tinha ido ao marquês. Este ano o campeonato está justíssimo. 

O mais engraçado é que Bruno de Carvalho quer passar uma imagem de pessoa muito a favor da verdade desportiva mas quando é a seu favor já está tudo bem. Às tantas a verdade desportiva dele é diferente da minha. Eu odeio que o meu clube ganhe com ajudas de árbitros e quem me conhece sabe que eu sou a primeira a admiti-las, mas isso sou eu.

Imagens daqui

O que se viu ontem no jogo frente ao Arouca foi ainda melhor do que o que já tínhamos visto na jornada passada. O Naldo fazer um penalti? Não, nunca. O Sporting marcar no último minuto? Ainda não tinha acontecido esta época. O mais triste é que isto só prova que o Jesus é um péssimo treinador quando não está num dos melhores. Sim, porque as exibições do Sporting são péssimas. O que é certo é que o Lito Vidigal tem mais minutos na liga que o Cristante e, se o mundo fosse justo, teria mais minutos que o Pizzi, mas isso já é outra conversa.

Mitroglou ou Jimenez?

Benfica 17:00
Quem deve ser titular no Benfica? É uma questão que anda a dividir a família benfiquista (se eu ganhasse um euro por cada vez que o Rui Vitória diz isto).

Num mundo ideal, a resposta a esta pergunta seria "Lewandowski", mas estamos longe de viver num mundo ideal. Assim sendo, e aproveitando a Fátima Campos Ferreira que há em mim, vejamos os prós e contras de ambos.

Comecemos pelo Jimenez que tem sido a aposta de Rui Vitória ultimamente:


- Tem UM golo nos jogos todos que já fez (ok, com esta equipa é complicado marcarem-se golos, mas se os outros conseguem....);
- Corre que se farta, esforça-se que se farta, defende que se farta;
- Custou NOVE MILHÕES. Nove! O último jogador a custar tanto dinheiro era criticado por toda a gente quando veio para cá para ser adaptado a seis (falo obviamente do Samaris);
- Numa época inteira no Atlético fez UM golo. E não teve assim tão poucas oportunidades. Jimenez falhava golos até a jogar contra o Chelsea.


Passemos ao grego com ar de terrorista:

- Não corre, não se mexe, não sabe fazer passes (até aqui, muito parecido ao Cardozo);
- Tem QUATRO golos e há imenso tempo que não é titular;
- Por ser um avançado muito mais fixo (género Cardozo, mais uma vez), faz com que o Jonas renda muito mais;

Conclusões: Não cheguei a perceber porque é que Mitroglou começou a época como titular indiscutível e, de repente, vai para o banco para dar lugar a alguém que marcou um golo na época passada inteira. Mitroglou está longe de ser um génio do futebol, mas fazendo comparações (e tendo em conta que são jogadores muito diferentes) o grego é claramente uma melhor opção para a frente de ataque do Benfica.

Claro que agora vem metade da família benfiquista dizer que ele é um cepo que ali está na área, que não se mexe e blá, blá, blá. E o Cardozo, era o quê? Um jogador fenomenal? Deixem-me rir. Um jogo não se ganha porque x ou y corre muito e se esforça muito, ganha-se com golos. Um avançado serve para marcar golos e que se lixe a nota artística. Para nota artística está lá o Gaitan quando não se lembra de tirar férias. "Ai mas ele está muito ansioso e custou 9 milhões, não se pode mandar assim para o banco", ai não? Está ansioso, há comprimidos para isso. Não tenho a culpa que os olheiros do Benfica não saibam fazer o seu trabalho. Eu vi meia dúzia de jogos do Atlético na época passada e percebi logo que o Jimenez era o que é. Da mesma forma que já vi jogos suficientes da selecção grega para saber que o Mitroglou pode ser um cepo mas marca golos. Como são os golos que nos dão pontos, eu sou Team Mitroglou.

P.S. Epa parem de dizer Mitroglu, sim? Está lá um "o" por uma razão!

Benfica 18:09
Este Benfica não joga nada. É só isto.

O que é que tem mais piada?

15:07
a) a capa da GQ deste mês

b) as publicidades do Paulo Futre


Benfica - Galatasaray em muito mais que meia dúzia de pontos

Benfica 16:11
Tenho bastantes coisas para dizer. Ponto um (e o mais importante): há um ano que não ia à Luz ver o Benfica e fui ontem. Porque é que não fui antes? Primeiro que tudo porque o Benfica exagera à força toda no preço dos bilhetes para não sócios (é verdade, eu não sou sócia do Benfica) e depois porque não tem havido nenhum jogo que me desperte tamanho interesse ao ponto de ir a Lisboa vê-lo. Ontem fui por uma razão bastante clara chamada Sneijder. Antes do sorteio da Champions tinha dito que se o Galatasaray ficasse no grupo do Benfica ia à Luz ver o Sneijder, que é um dos meus jogadores preferidos, e assim o fiz.


Mas falemos do jogo. Todos sabíamos que, à partida, o meio campo estaria bastante condicionado pelas ausências de Samaris e Fejsa. Não sendo um jogador fenomenal, André Almeida acabou por não comprometer (até porque o Sneijder fez uma exibição bastante pobre para bem do Benfica). Talisca fez, a meu ver, a melhor exibição desta época. Está longe do Talisca que vimos nos primeiros meses da época passada, mas pelo menos também não fez muitas asneiras. Também os laterais estiveram bem, na medida dos possíveis.

Na frente está visto que Jonas está a passar por um péssimo momento. Marcou um golo? Sim, mas a quantidade que tem falhado ultimamente é assustadora. Acredito que renda mais com Mitroglou do que com Jimenez, mas quem sou eu para questionar a aposta num avançado que marcou um golo na época passada? (e sim, eu sei que o Mitroglou estava lesionado).

Ainda na frente, o caso de Gaitan é surreal. Confesso que ainda não sei o que é que ele fez (foi numa altura em que tinha toda a gente de pé à minha frente e com um metro e 57 é difícil ver o que quer que seja nestas condições), mas pelos comentários foi pura estupidez. Não sabia que se faziam vénias a quem é expulso estupidamente. Eu não as fiz, mas isso é porque não gosto do Gaitan. Não é de agora mas está a ficar mais grave. Então eu vou fazer vénia a um jogador que faz um bom jogo e tira férias um mês? Vou venerar alguém que, claramente, está no Benfica contrariado e não vê a hora de sair? Vou aplaudir um jogador que joga apenas para a nota artística e muitas vezes se esquece da equipa? Poupem-me. Foi expulso porque é estúpido, deixou o Benfica com 10 quando o Galatasaray ainda podia perfeitamente empatar mas venera-se! Mais facilmente fazia vénias ao Eliseu.


O outro jogador que merece destaque é o capitão. Luisão pediu respeito aos adeptos que o criticam, que dizem que ele está acabado. Eu, como a maioria dos benfiquistas, adoro o Luisão. Adoro mesmo. Está cá há 12 anos. Sempre me lembro dele e é o único que merece envergar aquela braçadeira, mas há alturas em que devia pensar um bocado. Dizer que ele está a um nível muito inferior ao da época passada é a mais pura das verdades. E digo isto do Luisão como disse do Gerrard na época passada (e o Gerrard é o meu jogador preferido). Um golo (que acabou por dar os 3 pontos ao Benfica) não salva todos os erros que vi mesmo à minha frente. E não foi só ontem ou frente ao Sporting. O Luisão está em baixo de forma e qualquer um vê isso. Não significa que não o respeite, que não lhe esteja grata ou que não o admire.

Por último, finalmente Rui Vitória deu uma oportunidade ao Cristante (aquela que eu andava a pedinchar há tanto tempo e que me fez gritar que nem louca no estádio). Parece-me lógico que não lhe volte a dar nenhuma depois daquilo que o italiano mostrou ontem. Está visto que o Pizzi é melhor, a milhas. Toda esta "análise" é condicionada pelo facto de eu ter ficado numa das bancadas atrás da baliza (que nem me deixaram ver decentemente os golos do Benfica).

P.S. Se eu ganhasse um euro por cada vez que o Rui Vitória diz "caminho", contratava o Messi para o Benfica brevemente!

Como jogar sem meio campo

Benfica 16:00

O que é que podemos esperar do jogo de amanhã? Não queria ser pessimista mas é bastante provável que seja mais uma derrota. Porquê? Bem, para começar é o Galatasaray. Pode não ser a melhor equipa do mundo, mas tendo em conta o futebol praticado pelo Benfica, é bastante superior a nós. Como se isso não fosse suficiente, não há meio campo. O Samaris (para não variar) já se fartou de ver amarelos e está castigado e o Fejsa está lesionado. Conclusão: sobra-nos o André Almeida para 6 e o Talisca/Pizzi para 8. Estarem lá eles ou eu é igual. Mesmo assim eu estorvava menos. Pena os putos não estrem todos inscritos na Champions. Era o jogo ideal para treinar mais umas adaptações.

bruno de carvalho 17:20
Vinha só mostrar o meu descontentamento pelo facto de ainda não ter dado por nenhum comunicado do Bruno de Carvalho sobre a vergonha que se passou no jogo de ontem. Um penalti assinalado que é precedido de um fora de jogo? Ainda por cima foi decisivo no resultado final do jogo! De certeza que os vouchers que o Benfica anda a oferecer são para o McDonald's. 

O dia do ano com maior stock de doces

17:13
1 de novembro é para muitos apenas mais um feriado que até há pouco tempo era celebrado. Também é assim para mim. Mas, quando era criança, 1 de novembro era um dos melhores dias do ano. Até aos meus 18 anos pensava que era assim para todas as crianças. Não podia estar mais enganada. Foi preciso ir estudar para a capital para perceber que o "dia do bolinho" não o era para toda a gente.

O que é o "dia do bolinho"? Basicamente era o dia em que saíamos à rua para pedir "bolinhos" às pessoas com um "ó tia dá bolinho, em louvor de todos os santinhos" ou, numa versão mais hard core "ó tia dá bolinho, com a cavaca no focinho". O funcionamento é simples, mas o planeamento nem tanto. Fazíamos quilómetros para percorrer o maior número de ruas possíveis. Chegámos a subir subidas (e depois também descíamos as descidas) enormes por quatro casas que nos davam chocolates (em duas eram sempre tabletes e numa outra um ovo kinder, portanto valia a pena).

Levantávamo-nos cedíssimo para conseguir percorrer todas as ruas a que nos tínhamos proposto no trajecto previamente definido (como se precisássemos de trajecto para lugares que conhecíamos tão bem) e, à hora de almoço, lá tínhamos uma hora para almoçar e despejar a quantidade de bolos que trazíamos na mala. O mais engraçado é que ninguém comia os bolinhos e estes pesavam toneladas durante os quilómetros que percorríamos. Mas não importava. O que importava era o convívio e os doces que trazíamos de casa. Recebi um pouco de tudo ao longo dos anos: bolinhos, rebuçados, tabletes de chocolates, bolachas, chocolates, castanhas e até dinheiro (e quando já sabíamos que a pessoa ia dar dinheiro, separavamo-nos em grupos mais pequenos para nos darem uma moedinha de maior valor).