expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Mudasti!

É verdade. Quase um ano depois fartei-me do blogspot e mudei-me para o sapo. Não que faça uma diferença muito grande, mas mudei. Portanto a partir de agora podem encontrar-me aqui: http://istoepeanurs.blogs.sapo.pt/ (e já com um toque natalício).

domingo, 29 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 30

A morte mais triste - Andrea (Ghost Whisperer)


Esta foi uma das categorias mais fáceis. Porquê? Porque esta morte foi realmente difícil de aceitar. Não que a Andrea fosse a minha personagem preferida. Até gostava mais da Delia (que a veio "substituir"). O que tornou esta morte mais triste que as outras foi o facto de nós a continuarmos a ver no episódio como se nada se tivesse passado. Ela continuava a falar com a Melinda sobre a possibilidade de o irmão ter morrido numa queda de um avião e só percebemos que foi ela a morrer quando no final ela vê o irmão mas ele abraça a Melinda e não a Andrea. É aí que percebemos que, durante aquele tempo todo, vimos a Andrea como fantasma.


*The End*

sábado, 28 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 29

Actual obsessão - Quantico


É mesmo obsessiva. Quantico é, para mim, a melhor série deste ano. Talvez falte qualquer coisinha aos actores (pelo menos à maioria), mas a construção da história e dos episódios é muito bem pensada. Não passa um episódio sem que tenhamos uma surpresa. A história passa-se no presente com o recurso constante a analepses para contar como foi a passagem dos actuais agentes do FBI por Quantico. Actualmente temos a número da turma (é sempre assim) a tentar provar que não cometeu o maior atentado terrorista desde o 11 de setembro. E temos o Mark Pellegrino em modo vilão que é sempre uma mais valia. 

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 28

Primeira obsessão por uma série - Sailor Moon



Eu vivia obcecada por isto. Não perdia um único episódio. Até sabia os movimentos exactos das transformações. 

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 27

Melhor pilot - Harper's Island


Harper's Island é de longe uma das melhores séries que já vi (e revi). A sinopse é bastante simples. Um conjunto de pessoas reune-se numa ilha para celebrar um casamento. Uma ilha que há alguns anos sofreu com vários assassinatos de uma assassino que se acredita estar morto. Aos poucos as pessoas começam a aparecer mortas. É um pouco como "As dez figuras negras" da Agatha Christie. O final é muito bom e, para mim que sou péssima a identificar assassinos, surpreendente. Mas a série conquistou-me desde o primeiro minuto com um pilot muito bom capaz de nos convencer de que tudo estava bem até que o pessoal começa todo a morrer. Vale a pena!



quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Jimenez, o craque!


Toda a gente sabe que o Jimenez é um grande avançado. Precisava era de tempo. Felizmente deram-lhe setembro, outubro e novembro para ele marcar três golos. Ainda bem que o contrataram. Um jogador cuja metade do passe custou 9 milhões de euros e que tem uma média de menos de 1 golo por mês dá sempre jeito. Daqui a muitos anos Jimenez vai falar deste jogo aos seus netos com a mesma luzinha no olhar com que o Cristante vai dizer "e foi naquele dia em que joguei 10 minutos com a camisola do Benfica".

Meter o Pizzi a extremo com o Carcela no banco é gozar com a nossa cara, não é Rui? É normal que ele fique sem comentários. Claro que agora é que nunca mais joga no Benfica.


Pior é meter o Talisca e tirar o Samaris. Não fosse o Samaris querer vencer o jogo e destoar dos restantes jogadores que no fim já andavam todos só a passar tempo dentro de campo. Por falar em Samaris, sabem quem é que faz um meio campo do caraças com ele? O Renato Sanches. Mas isso já todos sabíamos. A família benfiquista pediu que ele o pusesse a jogar e ele pôs. Agora que andamos todos a pedir que ele se despeça, espero que continue a cumprir o que nós pedimos.

30 Days TV Show Challenge - Dia 26

OMG WTF? season finale - Criminal Minds season 4


Falamos de um daqueles finais de temporada cliché em que uma das personagens supostamente é morta e milagrosamente regressa na temporada seguinte porque conseguiu recuperar de ferimentos que matavam qualquer outra pessoa. Neste caso falamos de Aaron Hotchner, líder da BAU e a minha personagem preferida da série.  No final da temporada quatro vemos um assassino que eles perseguiram há bem pouco tempo em sua casa e o fim do episódio resume-se a uma tela preta e o barulho de uma bala disparada. Nada de surpreendente, mas foi a primeira vez que se fez na série e podia realmente significar a saída de uma personagem. Felizmente não aconteceu e o assassino voltou à série para o episódio 100 que, para mim, foi o melhor da série até agora.


terça-feira, 24 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 25

Uma série que planeias assistir - Black Sails


Não sei bem porquê, mas as publicidades da série sempre me chamaram a atenção. Nunca comecei a ver talvez por já ver imensas séries mais "sombrias", mas há-de chegar o dia.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 24

Melhor frase - "Não sou racista, odeio todos da mesma forma. Sou humanista"


No geral, tudo o que sai da boca do Mike Baxter (personagem principal de Last Man Standing) é acertado. Esta é especial porque tem tudo a ver comigo. Sim porque quem me conhece tem a mania de dizer que eu odeio toda a gente. Não sei onde é que foram buscar essa ideia...

domingo, 22 de novembro de 2015

Rui Derrota volta a fazer história

Muitos aclamam a mudança de táctica do Rui Derrota. De facto foi uma boa aposta. Agora até já marcamos golos ao Sporting e tudo. Daqui a 10 anos até vamos conseguir empatar e tudo. Com um golo de um puto da formação. Ou do Pizzi, que vai continuar a ter hipóteses no Benfica. A questão é: porque é que o Pizzi tem oportunidades e o Cristante e o Djuricic não as têm? Pior que isto são as substituições. "Epa agora é que vai ser, tiro o Pizzi e meto o André Almeida e eles até tremem", "Olhem aqui, tiro este gajo com ar de líder do Estado Islâmico e meto o Jimenez, agora até chovem golos" e "Vou tirar este puto para ele se preparar para a flash interview e meto o Jonas que está sempre impecável quando joga com o Jimenez". Isto tudo com o Carcela no banco! Porque é que se insiste em meter o Samaris a médio defensivo e não se mete a oito à frente do Fejsa? Porque o JJ o adaptou a seis?

Falando em Samaris, e porque já é normal falar nele, o que é que foi aquilo ontem? Deve achar que por ir chorar para uma flash interview lhe perdoamos tudo. Estava chateado? Também eu e o máximo que recebi foi uma repreensão dos meus pais por estar a gritar às 10 e tal da noite. Não fui expulsa de casa nem me desligaram a internet.


No fim do jogo vem o Rui Derrota falar de árbitros. E diz que o resultado devia ter sido diferente. Nisto estou de acordo com ele. O Sporting devia ter ganho por mais. Perdi 120 minutos de vida a ver este jogo que podia ter sido resolvido bem mais cedo. O problema foi ter jogado o Mitroglou de início. Se tivesse jogado o Jimenez o Benfica não tinha marcado nada e o jogo resolvia-se em 90 minutos. E se mais alguém me diz que o Jimenez é melhor que o Mitroglou, que é preciso paciência e que ele se esforça muito, é possível que comecem a receber respostas mais desagradáveis. Dizer que o Jimenez é bom jogador e vale 9 milhões é o mesmo que dizer que o Bruno Cortez é um craque.

O Gaitan foi para o hospital porque se apercebeu que a jogar assim nunca mais vai sair do Benfica. Ninguém quer um jogador que joga bem num jogo e tira férias durante um mês. Ou um jogador que é apelidado o melhor da equipa e, num momento em que podia tentar o golo, escolhe atirar-se para o chão e simular (mal) uma grande penalidade. Umas lições com o Falcão e isso resolvia-se!

A questão que se impõe é: quando é que acaba aquela cláusula que proíbe o Marco Silva de treinar o Benfica? É que a esta altura até o Quique Flores já servia. E o pior é que o Rui Derrota não se despede! Entretanto o Jesualdo despediu-se das arábias. Até ele servia!

sábado, 21 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 23

Personagem mais irritante - Elena Gilbert


Tenho um problema com esta categoria. Se era difícil escolher a melhor personagem, escolher a mais irritante é ainda mais difícil. Escolhi a personagem principal de Vampire Diaries (que só por si já é uma série bastante irritante) como podia ter escolhido outras tantas. São aquelas personagens "coitadinhas" que me irritam. Esta então é o cúmulo. Tudo o que se passa a afecta só a ela. "Ui a mãe da minha melhor amiga morreu, estou destroçada". É muito isto. Mas porque eu não gosto de ser injusta, acrescento mais umas personagens à lista.

Emma (OUAT)
Henry (OUAT)
Snow White (OUAT)
Rick (TWD)
Bonnie (TVD)
Thea (Arrow)

E estava nisto o dia todo, mas não me apetece!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 22

Series finale preferida - Ghost Whisperer


Não há nada melhor do que ver a nossa série preferida acabar bem. Vejo demasiadas séries para perceber que a grande maioria chega a um certo ponto em que a decadência é tão grande que, por muito que tivéssemos adorado os primeiros tempos, já não podemos ver a série à frente. Felizmente Ghost Whisperer acabou antes de chegar a esse ponto. A temporada cinco foi mesmo a minha preferida. Deixou de ser tão focada na lógica de "um episódio, um fantasma" e passou a ter uma história mais envolvente explorada em todos os episódios. O final da série é um daqueles casos em que não se podia fazer melhor. Ficou tudo resolvido (para bem), fiquei sem perguntas e, acima de tudo, com a certeza de que seria impossível continuar a série com a mínima qualidade.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 21

Casal preferido - Belle e Rumpelstiltskin


Once Upon A Time é uma das piores séries que vejo e, tal como no caso anterior, não tenho propriamente uma resposta para esta pergunta. Escolhi este casal porque a personagem do Rumpelstiltskin é demasiado boa para não estar em nenhuma das minhas respostas. De facto este casal é de extremos. O Rumpelstiltskin a espalhar o mal e a Belle que é um paozinho sem sal. Mas até funciona. Não é o melhor casal de sempre, mas funciona.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Gente que também vai ver o Euro na TV

Agora que a qualificação para o Euro 2016 acabou, parece-me importante fazer precisamente o contrário do que todos fazem: realçar as selecções que estão de fora. No fundo são jogadores (alguns deles bastante conhecidos) que na altura do Euro vão fazer o mesmo que eu: ver os jogos na televisão. A diferença é que eu posso ver a minha selecção e eles não.

Como eu sou uma pessoa que gosta de pensar sobre os assuntos importantes, hoje trago-vos um onze maravilha que podia fazer mais estragos no Euro do que muitas das selecções presentes (inclusive a portuguesa). Eu sei, eram precisas umas adaptações, mas há jogadores que não podiam ser deixados de fora da mesma forma que há falta de defesas direitos/esquerdos aceitáveis.


Entre estes estão alguns jogadores que eu gosto especialmente (leia-se o Sneijder, o Dzeko, o Matic e o Agger) e outros que vão fazer bastante falta ao Euro. É por isso que eu defendo uma equipa que junte os melhores jogadores que ficam de fora. Ninguém tem culpa de estar muitos pontos acima dos colegas!


Begovic (Sérvia/Chelsea)

O seu clube está a passar por um momento deplorável, mas a verdade é que, daquilo que tenho acompanhado, o guarda-redes sérvio não tem estado nada mal e é dos poucos que não pode ser culpado pelos fracos resultados do Chelsea. Para mim, é melhor que o Courtois.


Agger (Dinamarca/Brondby)

Sendo o Agger defesa central, não posso deixar de o colocar à direita. Primeiro porque não tinha mais ninguém e depois porque, jogue onde jogar, não consegue jogar mal. E anda um jogador destes perdido numa equipa dinamarquesa que ninguém conhece por opção própria!


Papastathopoulos (Grécia/Dortmund)

Perdi a conta ao tempo que demorei para conseguir pronunciar o nome deste indivíduo, mas agora já consigo fazê-lo. Talvez seja estúpido estar a falar de um central grego quando a Grécia perdeu grande parte dos jogos de apuramento para o Euro, mas este indivíduo (cujo nome não cabe nas camisolas) é um defesa central bastante competente (caso contrário estaria perdido num qualquer clube grego).


Ivanovic (Sérvia/Chelsea)

Se preferia que o Suarez lhe tivesse arrancado o braço em vez de o morder? Sim. Ainda não me conformei com o golo dele ao Benfica na final da Liga Europa, mas tenho de dar o braço a torcer (expressão que, neste caso, funciona na perfeição) e admitir que é um excelente defesa.


Blind (Holanda/Manchester United)

Ser filho do seleccionador nacional neste caso é bastante útil. Isto porque o Blind é um jogador de altos e baixos (mais baixos que altos, para mim). No entanto, e porque esta equipa também precisa de alguns pontos fracos e porque havia falta de gente para o lugar (tal como no Benfica), cá está ele.


Matic (Sérvia/Chelsea)

Um dos melhores médios defensivos da Europa, a passar por um momento menos bom de forma (quem não está no Chelsea?), mas que vai fazer falta ao Euro e que sofre por ter uma selecção onde a maioria dos jogadores está bastante pontos abaixo dele.


Depay (Holanda/Manchester United)

Apesar de achar que é um pouco sobrevalorizado pelas pessoas no geral, não deixo de achar que é um excelente extremo que perde uma excelente oportunidade de se mostrar (ainda mais do que faz no clube).


Dzeko (Bósnia/Roma)

É mais um daqueles casos em que a selecção é um mais onze. Neste caso Dzeko + 11. Ainda estou a recuperar da transferência para a Roma (a sério, quem é que vai do City para a Roma?) e já a Bósnia está de fora do Euro. Está claramente muito acima da restante equipa. Importa também referir que, ao fazer a pesquisa a imagem para colocar aqui, escrevi "dz" e já o google me estava a sugerir "D'zrt".


Sneijder (Holanda/Galatasaray)

Já me fartei de dizer aqui que adoro o Sneijder e que, tendo em conta aquele último jogo que a Holanda tinha mesmo de ganhar, é um daqueles jogadores que merecia mesmo ir ao mundial. Sobretudo agora, que está novamente numa fase ascendente da carreira.


Robben (Holanda/Bayern)

Esteve bastante tempo lesionado e a selecção holandesa também acabou por sofrer com isso. Não sendo o jogador com quem mais simpatizo, tenho de admitir que é um dos melhores do mundo da actualidade. Aliás, isso mesmo ficou provado no último mundial.


Huntelaar (Holanda/Schalke 04)

Está longe de ser um novo Van Persie, mas com a ajuda do Robben na frente até eu passava por jogadora de futebol. 


E como eu sou uma pessoa que não gosta de deixar as coisas a meio, ainda vos presenteio com uma lista de meia dúzia suplentes de luxo:


Oblak (Eslovénia/Atlético de Madrid)

Não, ainda não esqueci a "traição" ao Benfica, mas estou longe de ser hater. Adorava o Oblak quando estava no Benfica, deu-nos praticamente o título e acho que no Atlético está uns pontos abaixo daquilo que fez cá. No entanto, continua a ser um dos melhores guarda-redes da europa.


Papadopoulos (Grécia/Bayer Leverkussen)

Não sendo um defesa genial, desenrasca. Além disso tem um nome engraçado para os comentadores ingleses pronunciarem.


Kolarov (Sérvia/Manchester City)

É mais um dos defesas que podia estar neste onze inicial e não está porque tentei incluir o maior número de países diferentes. 


Samaris (Grécia/Benfica)

Não está naquele onze porque para ser como o Matic tinha de nascer 10 vezes. Talvez já não sejam 10. Apesar de achar que neste momento é melhor jogador que o Matic, não duvido que, em condições normais, o Matic está uns pontos acima do Samaris.


Markovic (Sérvia/Fenerbahçe)

Atenção, estamos a falar do Markovic do Benfica e não do Markovic do Liverpool treinado pelo Brendan Rodgers. Na sua melhor forma, imaginem os estragos que este "puto" fazia em França.


Van Persie (Holanda/Fernerbahçe)

Sim, eu sei que os tempos de glória do Van Persie já lá vão, mas ter um Van Persie na equipa é sempre uma mais valia (a menos que estejamos a perder 2.0 e ele se lembre de marcar um auto-golo).


Estou a pensar organizar uns meetings cá em casa para ver o Euro com esta gente toda (ok, talvez não toda porque há alguns de quem não gosto). Será que se lhes mandar mensagens nas redes sociais, eles aceitam? 

domingo, 15 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 20

Melhor beijo - Brennan e Booth


Confesso que esta categoria foi complicada porque nenhum momento me vinha à cabeça. Isto quer dizer uma de duas coisas: ou as partes românticas me passam ao lado nas séries, ou os casais das séries que eu vejo são todos miseráveis. Entretanto lá me lembrei desta cena. Isto é do tempo em que eu ainda via Bones (deixei-me disso há uns bons anos) e é o primeiro beijo da Bones e do Booth (que, segundo sei, agora estão casados e têm filhos e tudo). Não foi a melhor cena do mundo, mas foi o que se arranjou.

sábado, 14 de novembro de 2015

Rezar? A quem?

Não é costume mas hoje falo de um assunto sério. Sem ironias, sem piadas parvas, sem estupidez. Porque o que se passou assim o exige! É aterrador pensar que, em menos de um ano, uma das principais capitais europeias sofreu dois atentados desta dimensão. Se o primeiro foi contra jornalistas que satirizavam o estado islâmico, este foi contra pessoas perfeitamente normais. Pessoas que saíram de casa a uma sexta à noite para jantar com amigos, assistir a um concerto ou a um jogo da selecção.

Sempre fui educada como cristã e talvez por isso hoje em dia não me reveja no Deus que os cristãos veneram. Não posso acreditar num Deus omnisciente, omnipotente e omnipresente que deixe isto acontecer. Não posso acreditar que tenha feito o homem com tantos defeitos. Se tem o poder de o parar, porque é que não o pára? Gosta de ver guerra? Por outro lado temos os terroristas a afirmar serem movidos pelo islamismo. Desconfio que em algum momento Alá tenha dito "semeai no mundo um clima de terror, matai-vos e matai todos os outros". 


Imaginem o que é estarem fechados numa sala de espectáculos horas e horas com armas apontadas às vossa cabeças. Imaginem como será estar dentro de um estádio de onde não podem sair e  sem saberem nada do que se passa. Imaginem o que é estarem a jantar com amigos e de repente começarem a ver tiros a voar! É disto que os refugiados fogem. É para evitar isto que arriscam as suas vidas todos os dias. 

E se tivesse sido cá? Acredito que o massacre tivesse sido bem maior. Um jogo amigável da selecção teria enchido o Estádio da Luz e a verdade é que ninguém revista ninguém. Em todos os jogos que fui ver, fui revistada umas duas vezes. É ridículo, mas verdade. Qualquer pessoa entraria com uma bomba e o número de mortos seria absolutamente catastrófico.


Mais: estamos a falar de um país que daqui  uns meses receberá o Euro 2016. Que condições de segurança podem ser garantidas para os milhares que vão apoiar os seus países? Quantos campos terão de ser invadidos no final dos jogos? Quantas equipas terão de dormir no estádio para depois poderem sair em segurança?

O que me preocupa de facto é que este atentado, o do Charlie Hebdo e a crise dos refugiados, a médio prazo não passem de uma introdução de uma resposta a uma qualquer pergunta de um exame de história A sobre a terceira guerra mundial. E aí, duvido que a Europa conseguisse recuperar. 


"Il ne me reste que des larmes
(...)
Comment survivre après ça?
(...)
Quand ils sont arrivés
Cachés derrière leurs armes
Ils étaient des milliers
Ils riaient de nos larmes"

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

A opinião sobre a opinião política dos portugueses

Já venho um pouco tarde para falar sobre a queda do governo, não venho? As opiniões multiplicam-se pela internet e pelos cafés e é precisamente por isso que eu não venho dar a minha opinião sobre a queda do governo. Sobre isso já todos falaram e dificilmente eu iria conseguir acrescentar algo relevante a essa discussão (até porque grande parte daquilo que eu digo é completamente irrelevante). Assim sendo, venho dar a minha opinião sobre a opinião dos portugueses.

É difícil agradar ao povo português. Tão depressa chamam gatuno ao Passos Coelho, como uns dias depois lhe erguem um altar. Até ao dia em que o Presidente da República indigitou o governo, queriam todos untar o Primeiro Ministro e o Vice com cola super três, fazê-los rebolar em alcatrão acabadinho de fazer, mandar-lhes uns litros de gasolina para cima e acender um fósforo nas suas cabeças (que ficavam sem alcatrão para se poderem ouvir melhor os gritos de dor). Assim que se começou a falar em acordo à esquerda, já queriam todos erguer um novo santuário em Fátima às mesmas pessoas a quem desejavam uma morte dolorosa.

Entre o momento em que se insultavam com palavras menos bonitas os líderes do governo português e aquele em que estes são considerados os melhores governadores de sempre, passaram 11 dias. Paulo Portas demitiu-se "irrevogavelmente" a 2 de julho e foi nomeado vice a 24 de julho. Os portugueses fartaram-se de criticar mas Paulo Portas demorou o dobro do tempo destes a pensar se devia ou não voltar atrás com a sua palavra.

Se António Costa for indigitado Primeiro Ministro acredito que passados cinco dias e meio (para termos uma estatística por onde nos guiarmos para eventos futuros) os portugueses vão estender passadeiras vermelhas por todos os lugares onde o líder do PS passar. O povo português é mais difícil de satisfazer que uma criança bipolar. 

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 19

Melhor elenco - Supernatural


Supernatural pode ser muita coisa, mas não há série com melhores personagens/elenco que esta! Senão vejamos:

  • Temos desde logo os manos Winchester, que estão longe de ser os melhores actores do mundo mas se enquadram na perfeição nos papéis de Dean e Sam. 
  • O Misha Collins que é o melhor anjo de sempre. 
  • O Jeffrey Dean Morgan como papá Winchester que, de vez em quando, ainda aparece a dar um ar da sua graça. 
  • O Jim Beaver que também está sempre em algum lado pronto a ajudar os Winchester mesmo do além e a dizer "balls" da maneira mais engraçada de sempre.
  • Até as personagens feminina são excelentes: a Katie Cassidy que deu uma excelente Ruby (ao contrário da Genevieve), a Jo, a Ellen, a Judy, a Abbadon, a Rowena e até a Lilith.
  • Até aqueles personagens que apareciam muito poucas vezes como o Gabriel ou o Balthazar são fenomenais.
E isto tudo para não dos vilões que são os melhores de sempre! Começamos com o Azazel que era um vilão que deixou saudades, até ao Crowley que o vilão menos "assustador" de sempre mas encantador com aquele sotaque! E no meio está o meu preferido de todos: Lucifer. Se este não foi o melhor vilão da história, não sei qual possa ter sido. Aliás, fala-se muito de um possível regresso da personagem com outro actor. Não quero! Lucifer sem Mark Pellegrino não "sabe" ao mesmo!

Tudo isto para dizer que, não só as personagens são bastante boas, como também os actores parecem ter sido escolhidos a dedo para as suas personagens.


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 18

Spin-off favorito - Criminal Minds: Suspect Behavior


Não havia muito por onde escolher porque os únicos spin offs que vi foram este e The Originals. Tendo em conta que desisti há muito do segundo, não podia escolher mais nenhum. Criminal Minds: Suspect Behavior foi um verdadeiro flop a todos os níveis. Não que fosse uma má série, pelo contrário. Tinha bons casos, mas não tinha nada de diferente em relação à série principal. Só mudava a equipa e era para pior. Salvava-se o Forest Whitaker e o Matt Ryan e isso obviamente não chegava. 

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Parabéns ao Sporting


Estou a escrever já isto porque temo que em maio vou estar demasiado aziada para dar os parabéns a um clube que não ganha o campeonato há 15 anos. Quem não se lembra do colinho? Eu lembro e, curiosamente, este ano nenhum sportinguista se atreve sequer a mencioná-lo. No ano passado, diz o Bruno, não fosse o colinho e eu não tinha ido ao marquês. Este ano o campeonato está justíssimo. 

O mais engraçado é que Bruno de Carvalho quer passar uma imagem de pessoa muito a favor da verdade desportiva mas quando é a seu favor já está tudo bem. Às tantas a verdade desportiva dele é diferente da minha. Eu odeio que o meu clube ganhe com ajudas de árbitros e quem me conhece sabe que eu sou a primeira a admiti-las, mas isso sou eu.

Imagens daqui

O que se viu ontem no jogo frente ao Arouca foi ainda melhor do que o que já tínhamos visto na jornada passada. O Naldo fazer um penalti? Não, nunca. O Sporting marcar no último minuto? Ainda não tinha acontecido esta época. O mais triste é que isto só prova que o Jesus é um péssimo treinador quando não está num dos melhores. Sim, porque as exibições do Sporting são péssimas. O que é certo é que o Lito Vidigal tem mais minutos na liga que o Cristante e, se o mundo fosse justo, teria mais minutos que o Pizzi, mas isso já é outra conversa.

Mitroglou ou Jimenez?

Quem deve ser titular no Benfica? É uma questão que anda a dividir a família benfiquista (se eu ganhasse um euro por cada vez que o Rui Vitória diz isto).

Num mundo ideal, a resposta a esta pergunta seria "Lewandowski", mas estamos longe de viver num mundo ideal. Assim sendo, e aproveitando a Fátima Campos Ferreira que há em mim, vejamos os prós e contras de ambos.

Comecemos pelo Jimenez que tem sido a aposta de Rui Vitória ultimamente:


- Tem UM golo nos jogos todos que já fez (ok, com esta equipa é complicado marcarem-se golos, mas se os outros conseguem....);
- Corre que se farta, esforça-se que se farta, defende que se farta;
- Custou NOVE MILHÕES. Nove! O último jogador a custar tanto dinheiro era criticado por toda a gente quando veio para cá para ser adaptado a seis (falo obviamente do Samaris);
- Numa época inteira no Atlético fez UM golo. E não teve assim tão poucas oportunidades. Jimenez falhava golos até a jogar contra o Chelsea.


Passemos ao grego com ar de terrorista:

- Não corre, não se mexe, não sabe fazer passes (até aqui, muito parecido ao Cardozo);
- Tem QUATRO golos e há imenso tempo que não é titular;
- Por ser um avançado muito mais fixo (género Cardozo, mais uma vez), faz com que o Jonas renda muito mais;

Conclusões: Não cheguei a perceber porque é que Mitroglou começou a época como titular indiscutível e, de repente, vai para o banco para dar lugar a alguém que marcou um golo na época passada inteira. Mitroglou está longe de ser um génio do futebol, mas fazendo comparações (e tendo em conta que são jogadores muito diferentes) o grego é claramente uma melhor opção para a frente de ataque do Benfica.

Claro que agora vem metade da família benfiquista dizer que ele é um cepo que ali está na área, que não se mexe e blá, blá, blá. E o Cardozo, era o quê? Um jogador fenomenal? Deixem-me rir. Um jogo não se ganha porque x ou y corre muito e se esforça muito, ganha-se com golos. Um avançado serve para marcar golos e que se lixe a nota artística. Para nota artística está lá o Gaitan quando não se lembra de tirar férias. "Ai mas ele está muito ansioso e custou 9 milhões, não se pode mandar assim para o banco", ai não? Está ansioso, há comprimidos para isso. Não tenho a culpa que os olheiros do Benfica não saibam fazer o seu trabalho. Eu vi meia dúzia de jogos do Atlético na época passada e percebi logo que o Jimenez era o que é. Da mesma forma que já vi jogos suficientes da selecção grega para saber que o Mitroglou pode ser um cepo mas marca golos. Como são os golos que nos dão pontos, eu sou Team Mitroglou.

P.S. Epa parem de dizer Mitroglu, sim? Está lá um "o" por uma razão!

sábado, 7 de novembro de 2015

30 Days TV Show Challenge - Dia 17

Mini-série favorita - Wayward Pines


Wayward Pines é uma das melhores séries que já vi, senão mesmo a melhor. Quem não viu, que vá corrigir imediatamente esse erro. São apenas 10 episódios, cada um melhor que o outro. A história está longe de corresponder àquilo que possamos esperar de qualquer série. Um agente do FBI tem um acidente de carro e acorda em Wayward Pines, uma cidade estranha. Estranha porque não é possível sair. A cidade está rodeada por uma cerca eléctrica e, a certo ponto, o agente interroga-se se será para prender as pessoas lá dentro ou para impedir que outros entrem. O estranho é quando começamos a perceber que as percepções de tempo na cidade são completamente diferentes das que há "no mundo real". Apenas as crianças sabem a verdade. Uma verdade que me deixou de boca aberta (literalmente) e na qual me custou acreditar. O final é inesperado e deixa muitas perguntas sem resposta, mas uma coisa é certa: esta é daquelas séries que vou voltar a ver. 


sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Fall season 2015 - parte 4 (e última)


The Walking Dead (temporada 6)

O primeiro episódio desta temporada foi o pior de todos da série (e já houve muitos episódios maus). O que é que se passou? Como em tantos outros episódios da série: absolutamente nada. Basicamente houve  uma peregrinação de zombies que percorreram um percurso enorme (ainda bem que eles não se cansam) para no final dispersarem todos. Foi isto. Felizmente os dois episódios que se seguiram acabaram por ter algum conteúdo e até uma morte de um personagem principal.


Last Man Standing (temporada 5)

Uma série de comédia é suposto fazer-nos rir, certo? Last Man Standing não conseguiu fazer-me rir no primeiro episódio desta temporada. Para uma série que quase era cancelada no ano passado, estamos a começar mal. Talvez o problema seja meu. A verdade é que não gosto nem nunca gostei de séries de comédia. É por isso que só vejo duas e a grande razão de esta ser uma das duas é o personagem principal.


Quantico (temporada 1)

Mil obrigados à Elizabete. Não tinha a série na minha lista de pilots para esta fall season e foi ela que me recomendou. É claramente a minha favorita do momento. Quantico conta a história de uma agente do FBI que foi a melhor da sua turma e agora é procurada por terrorismo. Entre imagens do presente em que Alex tenta provar a sua inocência e imagens da altura em que ainda treinava na academia do FBI com os colegas, temos aqui uma série fenomenal.