Reviews realmente relevantes #1

Reviews realmente relevantes 16:56
Três anos e uns meses após o início deste blogue, decidi finalmente torná-lo útil. À primeira vista, pode parecer que demorou demasiado tempo para que isto acontecesse, mas se pensarem na quantidade de pessoas já adultas cuja utilidade permanece desconhecida (eu inclusive), três anos não é assim tanto tempo. 

Assim sendo, dou hoje início a uma nova rubrica (e estou a designar de rubrica algo sem mais nenhum texto pensado) que vai melhorar as vidas de quem a ler. A verdade é que há por aí milhentas bloggers a fazer reviews de roupa, maquilhagem ou produtos de beleza em geral. Sucede que, além de eu não querer escrever sobre tais assuntos, também não teria nada a acrescentar (como acontece na maioria dos assuntos). Com isto podem deduzir que todos os produtos aqui revistos são de uma utilidade extrema.



Começo pela área da saúde. Durante anos tomei ben-u-ron, cêgripe ou brufen para curar constipações e febre. O efeito era o desejado mas demasiado lento. Foi assim até que um dia o meu pai trouxe Nurofen para casa. Nurofen trata:
  • dores ligeiras a moderadas;
  • cefaleias;
  • enxaquecas;
  • odontalgia;
  • dores menstruais;
  • dores musculares;
  • dor reumática;
  • dores nas costas;
  • nevralgia;
  • sintomas de constipação e gripe;
  • febre com duração inferior a 3 dias. 

A isto eu acrescento ainda o tratamento de dores de garganta (daquelas que vos fazem tossir noites inteiras) porque há uns meses o facto de não dormir há 4 noites seguidas levou-me a tomar medidas desesperadas. Tem ainda o benefício de ser revestido por uma película com um sabor nada péssimo e por isso não se desfazer quando não conseguimos engolir aquilo à primeira. 

Ainda não estão convencidos a ir à farmácia mais próxima comprar este must have? Então permitam-me acrescentar o fantástico preço de 4.15€. São 4€ que gastam em 24 pequenas bolinhas brancas com letras vermelhas capazes de melhorar as vossas vidas em poucas horas.

Resumo da minha eurovisão

eurovisão 15:48
Depois de um resumo minucioso daquilo que podiam esperar da final da Eurovisão, parece-me justo trazer-vos um resumo do que foram as minhas reacções à final da Eurovisão em plena Altice Arena.


1. Como assim último lugar do júri?

2. Aplausos moderados porque havia espanhóis por perto e não me apetecia falecer.

3. Mantenho o que disse no outro resumo: a parte em que a música "pára" lá pelo meio é a melhor porque ouvir isto é uma tortura.

4. Se tivesse vontade, teria ido à casa de banho.

5. Eu era a única que aplaudia os constantes 12 pontos do júri para isto. 

6. Pobres pessoas que gastaram milhares num vestido a acharem que ganhavam.

7. Fã mais entusiasmada mesmo achando isto péssimo. Desilusão total com aquele 15.º lugar.

8. Não fiz nenhum estudo mas posso afirmar com algumas certezas que fui a única portuguesa que não se levantou para aplaudir e que não gritou. Sou muito patriota, eu sei.

9. Atrevo-me a dizer que foi O momento da noite. Um dos poucos em que me levantei para cantar e aplaudir após a invasão de palco.

10. Irrelevante.

11. 4.º lugar... quem diria?

12. Aplausos imensos para o melhor cantor do ano.

13. Eu sabia que isto ia ficar num lugar mediano. Não disse nada porque ninguém me perguntou.

14. Estava um gajo à minha frente vestido exactamente como o Checo.

15. Toda a gente adorou, menos os júris.

16. Toda a gente adorou, menos as pessoas com bom gosto.

17. Prova de que podes gritar o quanto quiseres e mesmo assim não foges aos últimos lugares.

18. Aquela discussão básica para ver qual a parte em que a vocalista canta e qual aquela em que faz playback.

19. Tão mau que foi bom.

20. Melhor momento da noite? O bottom 5 da Suécia na votação do público depois do 2.º lugar no júri. Que maravilha. Nunca vi tanta gente tão feliz.

21. Nunca mais fui a mesma depois disto.

22. Foi a mais aplaudida da noite e as bandeira de Israel eram as que mais se viam (depois das portuguesas e espanholas, claro).

23. As holandesas ao meu lado eram as únicas fãs. Quando ele chegou à green room acenou-lhes. Tomei o aceno como sendo para mim também que tinha a Holanda em 2.º.

24. Havia mesmo pessoas a achar que isto ia ganhar. Pobrezinhos.

25. Se há um ano me tivessem dito que eu ia ver uma Eurovisão em que o Chipre ficava em segundo lugar, não sei como teria reagido. Provavelmente da mesma maneira que reagi no sábado.

26. Eu era a única com uma bandeira italiana (na verdade vi mais uma). As holandesas ao meu lado riram-se quando eu estava sozinha a festejar os 12 pontos do júri albanês. Depois do top 5 já ninguém se riu.

Conclusões disto tudo: 

  • Fiz as contas ao dinheiro gasto e não foi agradável;
  • Estou constipada porque teimo em pensar que de noite faz tanto calor como de dia;
  • Ganhou uma música de que eu não gosto;
  • Quem andou nos mesmos comboios que eu achou que eu era maluca por andar com uma bandeira italiana atrás.

Como nem tudo é mau, parece-me relevante dizer que foi uma experiência extraordinária pelo festival em si, pelas pessoas e porque conheci um dos artistas que mais admiro (e não vou desenvolver o assunto por não querer ser confundida com uma miúda de 13 anos). Ah, e não houve nenhum atentado terrorista como a minha mãe previa. Quem quiser ler uma opinião mais aprofundada, ei-la aqui.

Resumo da final da Eurovisão

eurovisão 17:28

Acredito que muitos portugueses já não possam ver a palavra Eurovisão à frente (principalmente aqueles que me seguem no twitter). Compreendo. Nos últimos dois anos também queria que acabasse rápido tendo em conta a qualidade (ou falta dela) das músicas a concurso. Como seria de esperar, os experts em música acordaram da hibernação para dizer que é tudo péssimo mas - espantem-se - há músicas boas este ano, sejam elas baseadas em feelings ou em fireworks. Mas o meu objectivo não é convencer ninguém a gostar da Eurovisão (até porque teria poucos argumentos para o fazer) mas sim apresentar-vos de modo resumido as 26 músicas a concurso na grande final. Sigam este recap comigo:


1. Começamos bem com um gótico a sair de um caixão que afinal é um piano que se incendeia mais para o fim. Esta é a primeira de muitas músicas que não são cantadas em inglês.

2. Um casal mais forçado que os vencedores da Eurovisão em 2011. Na verdade nunca consegui ouvir isto até ao fim.

3. O primeiro cabelo rosa da noite e as primeiras palavras que vamos ouvir em português. A parte em que a música "pára" lá pelo meio é a melhor porque ouvir isto é uma tortura.

4. Salvador Sobral versão feminina. Excelente para quem, ao contrário de mim, tem sentimentos.

5. Um excelente cantor com uma actuação péssima e uma roupa ainda pior. Nem seria a mesma coisa se os meus favoritos não estragassem tudo em palco.

6. Ópera em italiano com um vestido onde são são reproduzidas imagens. Excelente voz mas é uma pena não ter instrumental.

7. O vencedor de 2009 voltou com uma música chamada "That's How You Write A Song". Curiosamente é uma das piores músicas que ele já escreveu.

8. Vamos acabar nos últimos lugares.

9. Reino Unido como sempre a deixar bem claro que está na Eurovisão para lutar pelo último lugar.

10. Einstein a tocar flauta, saudação Nazi e uma intro que parece demorar duas horas.

11. M*rda, queria dizer qualquer coisa maldosa ou engraçada sobre esta mas não dá. 

12. Melhor cantor da edição inteira. A questão é mesmo: onde é que ele comprou aquele casaco?

13. O nome da música é "Mercy" mas parece que se lê "Merci". Ninguém vai perceber, mas a letra da música é maravilhosa.

14. Um gajo de mochila e roupa esquisita a fazer uma dança esquisita.

15. Vikings.

16. Uma mulher a fazer uma dança muita estranha. E sim, a Austrália participa.

17. Há uma coisa estranha no palco e uma mulher aos gritos. Mais eurovisivo que isto não há.

18. A mulher está a fazer playback enquanto uma corista canta por ela. Maravilhoso este mundo da Eurovisão, não é?

19. Música péssima (mas mesmo péssima) com uma actuação genial.

20. Há países que tiveram de cortar as suas músicas porque tinham mais de 3 minutos. A Suécia tinha 30 segundos e repete-os seis vezes.

21. A minha mãe a gritar comigo mas em húngaro.

22. Uma mulher a cacarejar.

23. Uma fusão entre blues, rock e country com gente a fazer breakdance. Lembram-se quando eu disse que os meus favoritos arruinavam tudo em palco? Cá está mais uma prova.

24. Um rapaz a cantar, outros dois a dançar e uma música que toda a gente odiava mas que agora está no 3.º lugar das apostas. Como? Não sei.

25. "Music isn't fireworks" my ass. Isto lidera as apostas e foi rejeitada pela minha cantora preferida. Apoio a decisão.

26. A prova de que há uma primeira vez para tudo é este staging perfeito da minha música preferida que lhes vai valer um excelente lugar fora do top 10..

Belíssima final, não é? Agora é esperar que a Noruega vença para a III Guerra Mundial começar no twitter.