Sentido de humor (ou a falta dele)

Benfica 14:44

Toda a gente sabe o que é que se passou no domingo. O Benfica jogou para o empate e o Porto também. Curiosamente o Porto precisava mesmo de ganhar e portanto é complicado ter-se sentido de humor quando o campeonato fica ainda mais distante. Diz-se por aí que o (F)lopetegui chamou um nome menos bonito ao JJ e disse que lhe dava um murro se ele se voltasse a enganar a dizer o nome dele. Se todos tivéssemos a falta de sentido de humor que o treinador do Porto tem, o mundo passava a ser um campeonato de luta livre.

JJ mal fala português e nem o nome dos seus jogadores sabe, como é que o Lopetegui espera que ele consiga pronunciar o nome dele? Às vezes nem eu consigo. Para alguém que trata o Ola John por Alan Jonas e o Cristante por Cristevão, até não me parece nada mau dizer Lotopegui em vez de Lopetegui. Mas isto sou eu, que tenho sentido de humor. Já o sentido de humor do Lopetegui é equivalente aos passes acertados pelo Porto este domingo: inexistente.


Se eu desse um murro a todas as pessoas que, por exemplo, escrevem o meu nome com acento (e às vezes apetece-me imenso), tinha de ir praticar boxe. E se o mundo inteiro se revoltasse com isso, os comentadores desportivos da TVI estavam desgraçados. Vinha o Zdeko (Dzeko), o Jo Ar (Joe Hart) e a selecção alemã toda prontos para acabarem com eles.

Futebol 12:17
Aprecio sempre quando uma piada já vem feita. É por isso que gostei do facto de estar escrito "A maior potência desportiva nacional" no Estádio de Alvalade. Isto é que é confiança. Estamos a falar de um clube que não ganha um campeonato há mais de 10 anos, que está em terceiro lugar no campeonato e tem feito campanhas fenomenais na europa. Mas calma que o Sporting não é só futebol. Estou a lembrar-me do futsal, aquela modalidade em que o Sporting se diz fortíssimo e acabou no terceiro lugar da fase regular desta época. Aprendi nas aulas de Escrita de Comédia que a hipérbole é um excelente recurso estilístico para as piadas, mas que sejam hipérboles das boas!Se tivesse sido eu a autora desta frase substituía "nacional" por "mundial". 

Não estando dentro do núcleo sportinguista, gostava de saber se o grupo que gritou pelos alemães no domingo, ainda é "do Bayern até morrer" ou se já passou. Longe de mim defender o Porto, o resultado até me era indiferente, mas dava-me jeito uma derrota para haver menos motivação para domingo. Se uma equipa desse 12 ao Benfica numa eliminatória eu calava-me para todo o sempre com esperança que, aos poucos, essa memória acabasse por desaparecer. E ainda há quem diga que são os benfiquistas é que estão sempre a falar na história.

Caro São Pedro,

17:03
Talvez fosse boa ideia parar de brincar ao "todos os boletins meteorológicos estão errados". Percebo que a tarefa de provar que são todos uma fraude seja tentadora, mas já chega. É engraçado quando mandas chuva no dia seguinte a eles anunciarem sol e tudo mais, mas hoje estás a abusar. Arranjaste um novo estagiário aí para cima que ainda não sabe comandar bem o "comando do tempo"? É que se foi, espero que esteja em estágio curricular e não profissional. Ou será que tens uma nova aplicação no teu iphone e ainda não aprendeste a usá-la? Seja como for, isto de mudar de opinião de cinco em cinco minutos não acontece nem com aqueles que sofrem de dupla personalidade. Pareces um miúdo que pede aos pais para comprar um brinquedo, brinca com ele durante cinco minutos e depois nunca mais lhe mexe. À custa da brincadeira, os lençóis que tinha no arame a secar já pensam mais que o Eliseu, portanto decide-te.

Atentamente,
O Mundo.




Como fazer greves a sério (por: CP)

carris 15:36
Hoje há greve (estou sempre em cima do acontecimento, é verdade). Mas as greves da Carris tendem a ser desinteressantes. É muito bonito ter-se direito a fazer greve, mas se não sabemos fazer greve em condições, mas vale ir trabalhar. O metro adiou a greve para a próxima semana porque foram obrigados a ter serviços mínimos, mas a Carris foi em frente. Curiosamente já me apercebi da passagem de vários eléctricos e portanto, concluo que, como todas as greves, esta está a ser mais um falhanço. Uma greve pressupõe não haver autocarros ou eléctricos mas logo, nos telejornais, vamos ouvir dizer que houve adesão de 100% quando todos sabemos que é mentira.

Greve de qualidade são as da CP. Tão boas que, na semana passada, nem sabia que ia haver greve. No fundo ninguém sabe porque é que faz greve, o que todos sabem é que estão a complicar a vida às pessoas e, por isso, se é para complicar é preferível não divulgar a greve. Assim as pessoas chegam à estação/paragem e só nessa altura se apercebem que não vão conseguir ir para lado nenhum. 

Mais. Greves de um dia são para os fracos. A CP a semana passada presenteou-nos com quatro dias de greve e ainda houve comboios afectados no dia seguinte. E serviços mínimos? Só meia dúzia de comboios durante todo o dia, não é como a Carris que já em dias normais tem períodos de espera de uma hora (estou a exagerar, claro, o máximo que esperei foram 50 minutos).

Conclusão: a Carris e o Metro ao pé da CP são, como diria o JJ, "muita" fraquinhos. Se é para estragar a vida das pessoas que seja maquiavelicamente. 

Questões que assolam a humanidade #4

questões que assolam a humanidade 16:04

Porque é que o cor-de-laranja se chama cor-de-laranja?

A pessoa que inventou os nomes das cores devia falecer. Acredito que já tenha falecido e, portanto, devia ressuscitar só para poder falecer novamente. Quem é o génio que chama cor-de-laranja ao cor-de-laranja, cor-de-rosa ao cor-de-rosa e amarelo ao amarelo? Não faz sentido. Se é para dar nomes de coisas às cores, sejamos coerentes.

Se o cor-de-laranja se chama cor-de-laranja, porque é que o amarelo não se pode chamar cor-de-limão ou cor-de-sol? Porque é que o azul não é cor-de-céu? Porque o céu nem sempre está azul? Grande justificação. As rosas por acaso são todas cor-de-rosa? Grande parte das que tenho em casa são vermelhas portanto talvez o vermelho fosse mais correctamente apelidado de cor-de-rosa do que o próprio cor-de-rosa.

Analisando bem as coisas, a laranja, quando está verde, não é cor-de-laranja. O entendimento que a pessoa que inventou o nome das cores tem do mundo é bastante limitado. Se fosse eu, teria dado um nome diferente às cores, mas isso sou eu, que gosto de facilitar.