expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 10 de março de 2015

A qualidade das letras apresentadas no FC 2015

 Já todos sabemos, uns melhor que outros, que a qualidade musical do Festival da Canção é duvidosa. Este ano havia uma boa música que acabou por não ser a vencedora. Mas não é de coisas tristes que pretendo falar hoje. Quero antes partir para uma análise detalhada da letra de uma das canções concorrentes ao Festival. Todos nós estamos habituados àquelas canções que falam de "mar", "saudade", "fado", "Portugal" e blá blá blá. No geral foi disto que falaram as letras, umas melhor, outras pior. Inclusivé a nossa representante é "Há um mar que nos separa" e lá pelo meio diz que esse mar vai ser seco de "saudade". Ah, a originalidade!


Apresento-vos agora um belo poema (apenas o refrão) que faz parte da canção "Tu tens uma mágica":

"Tu tens o poder
Tu tens uma mágica
Vamos gritar até ficar afónicos
 Saiu no jornal
Não é nada lógico
Tens garras de metal
O que é fundamental p'ra chegar ao sol"

Sem usarem os típicos clichés portugueses, Gonçalo Tavares (o compositor e interprete) e José Cid (letrista) conseguiram ao mesmo tempo fazer uma homenagem ao Wolverine e resolver uma das mais antigas lendas gregas.

Comecemos pelo princípio. 

"tu tens uma mágica": Hoje estava no comboio e vi um anúncio do Disney on ice com o slogan: "100 anos de magia". Errado! 100 anos de mágica. Assim é que é. As pessoas não sabem, mas o acordo ortográfico alterou isto.
"vamos gritar até ficar afónicos": É de mau gosto gozar com os colegas (neste caso a Adelaide Ferreira) que não conseguiram passar à final do festival.
"não é nada lógico": o  que é que não é lógico? Só se for a derrota desta bela canção. À parte disso não vejo nada ilógico.
"tens garras de metal": Cá está. Numa clara alusão ao Wolverine, os letristas mostram-nos que não é só nas séries que a Marvel está ao rubro. Falar de personagens da banda desenhada em canções concorrentes à Eurovisão foi algo de que nunca ninguém se lembrou. Nem cá nem noutros países. Ainda dizem que o Festival cheira a mofo com tanta inovação?!
"o que é fundamental p'ra chegar ao sol": partindo do princípio que isto não são frases soltas que os autores da letra decidiram pôr na música, temos aqui a resolução do problema de Ícaro. Todos nós conhecemos a trágica história de Ícaro que quis voar demasiado alto e acabou com as asas queimadas pelo sol. Não acho que seja possível chegar assim tão perto do sol de modo a que ele nos queime (mas para os gregos tudo é possível) mas a sê-lo, já sabemos como fazê-lo sem que nos aconteça o que aconteceu a Ícaro. O Wolverine não terá problemas em voar até ao céu, no entanto não conheço mais ninguém com garras de metal e portanto o sol acabaria por se tornar um local desabitado e desinteressante.

Calculo que, quando escreveram esta bela letra, Gonçalo Tavares e José Cid não esperavam ter alguém a analisá-la verso por verso, mas o meu tempo livre assim o permite.

Para os que acham que eu posso estar a inventar isto tudo, podem ver e ouvir esta bela canção aqui. Já agora fica também o link para a vencedora aqui e para a minha preferida aqui.

2 comentários:

  1. É o mito José Cid (ver artigo na Desciclopédia)? Está justificado. Só um mito poderia ter feito uma letra com um Wolverine voador

    ResponderEliminar