A qualidade literária da Eurovisão

23:30

Já aqui tive o prazer de analisar letras inovadoras e deveras interessantes do Festival da Canção. É a vez da Eurovisão. Não se pense que a Eurovisão é só um festival de política onde só ganha quem tem interesse/dinheiro para organizar o evento no ano seguinte. A Eurovisão é bem mais que isso, e aqui fica a prova.


De seguida um conjunto de letras que acho deveras interessantes e que pisaram o palco eurovisivo na semana passada.


"And i was playing with numbers, and I didn't now what it meant" - Irlanda

A menos que brincar com os números se refira ao famoso jogo "24" não faço ideia do que ela possa estar a falar.


"We're gonna rapapap rapapap tonight" - Bélgica

Exacto. "Rapapap" era mesmo o que me apetecia fazer esta noite. 


"Vejo se me endireito mas falta-me a vontade"
"Se é o mar que nos separa, vou secá-lo de saudade" - Portugal

Para quem não tem vontade de fazer nada, está muito convicta de que vai secar o mar só com saudade (como se pôr "mar" e "saudade" na mesma frase não fosse um requisito para participar no Festival da Canção). Mais facilmente bebes a água toda do mar do que o secas com saudade, mas força nisso!


"And before I leave, let me show you Tel Aviv"
"Gotta go, three minutes, bye bye" - Israel

Alguém que erga uma estátua ao letrista desta música por favor, porque isto são os melhores versos da história eurovisiva. 

E de seguida o poema completo da música finlandesa (e juro que isto é verídico):

"Tenho sempre de limpar
Tenho sempre de lavar a loiça
Tenho sempre de ir trabalhar
Tenho sempre de ir ao médico

Não posso usar o computador
Não posso ver televisão
Nem posso ver os meus amigos

Tenho sempre de estar em casa
Tenho sempre de tratar das coisas
Tenho sempre de comer bem
Tenho sempre de beber bem

Não posso comer doces ou beber refrigerantes
Nem posso beber álcool

Tenho sempre de descansar
Tenho sempre de dormir
Tenho sempre de me levantar
Tenho sempre de tomar banho"

Relacionados

0 comentários