Todos os polícias deviam ter um renault clio

15:53

Não sei se já tiveram oportunidade de se informarem sobre a mulher que foi morta acidentalmente pela PSP. Eu, como gosto de ser uma pessoa bem informada, decidi abrir o site que mais detalhes nos dá sobre todos os crimes que ocorrem no nosso país: o do CM.

Vi a notícia durante o Jornal da Uma e pensei imediatamente numa solução para que isto não se torne a repetir: arranjar um renault clio para todos os agentes da PSP. É natural que algumas pessoas questionem esta solução mas garanto-vos, por experiência própria, que dá resultados. 

Eu tenho um carro desse mesmo modelo (o meu pai é que tem mas dispensa-mo de vez em quando) e também tenho uma péssima orientação geográfica. Acontece que meio país tem um carro parecido ou igual e distinguir qual é o meu no meio das multidões levou a que eu decorasse a matrícula para não me acontecer o que muitas vezes acontece à minha mãe que é tentar abrir a porta do primeiro renault clio branco que vê.

Haverá pessoas a ler isto (sabe-se lá porquê) ainda cépticas quanto a esta solução perfeitamente viável. Ora, a fazer fé no que diz o CM, os agentes da PSP perseguiram os assaltantes do multibanco desde Almada até à rotunda do relógio. Isto perfaz 15 quilómetros. 15 quilómetros em que nenhum dos agentes parou para pensar "epa olha que se calhar até nem era má ideia decorar a matrícula do carro que estamos a perseguir para o caso de o perdemos de vista". Isto aconteceria caso se adoptasse a minha solução. A pessoa que tem um renault clio já está programada para decorar, pelo menos, as letras que fazem parte da matrícula.

Incomoda-me também que os agentes tenham perdido os assaltantes de vista. Portanto eles saíram na rotunda em direcção ao aeroporto e, como aquilo já não é tão a direito como a segunda circular, decidiram assinalar o caminho que percorriam com disparos a fazer lembrar o caminho da igreja ao restaurante, num casamento. Aquilo foi uma oferenda dos bandidos para que não os perdessem de vista e ainda assim não funcionou. 

Às vezes as pessoas perguntam-me o que é que eu faço nos meus tempos livres. Essencialmente é pensar sobre estas coisas. 

Relacionados

0 comentários